Tutorial: Comandos do Pipeline

From Visual3D Wiki Documentation
Jump to: navigation, search

Objetivos

O objectivo deste Tutorial é demonstrar o Command Processing Pipeline. Tutorial #3 tem dois objetivos importantes:

  1. Ensinar a você como usar o comando de processamento do pipeline
  2. Introduzir como trabalhar com os comandos do pipeline do Visual3D.

Visão Geral

Os comandos de processamento do Pipeline permite acesso ao centro da funcionalidade do Visual3D pois fornece uma interface de linhas de comandos a todas as funções do Visual3D. O Pipeline é tipicamente usado para automatizar os passos do processamento, o qual é útil para múltiplas e repetidas funções. O Pipeline é um conjunto de comandos do Visual3D que são processados m sequência. O Pipeline tem a habilitade de manusear os arquivos, definir eventos, executar computações de processamento de sinais, e, criar e modificar relatórios. O processador do pipeline pode ser iniciado diretamento do menu de opcões do Pipeline menu option ou da barra de ferramentas do Visual3D. Não é linguagem encriptada ou uma linguagem de programa, portanto, nenhum tipo especial de experiência em script ou programação é necessária para usar o Pipeline. É simplesmente uma série de comando que são rodados sequencialmente.

Qualquer comando do pipeline que pode ser rodado interativamente por meio do processador do pipeline pode ser salvo como um arquivo texto. Estes arquivos podem ser carregados mais tarde, ou combinado com outro arquivo de comando para construir comandos de pipeline mais complexos. A caixa de diálogo do Pipeline (ou processador de texto) pode ser usado para criar o pipeline.

Pré-requisitos

Este tutorial assume que o Visual3D foi instalado e que o modelo já tenha sido criado e os arquivos de movimento aplicados ao modelo. É sugerido que você complete primeiro os tutoriais anteriores Tutorial: Visualizing Data; o arquivo Tutorial2.cmo contém os resultados dos tutoriais anteriores e podem ser usados como material inicial.

Preparação

  1. No menu, File, selecione Opene selecione Tutorial2.cmo. Este é o resultado do Tutorial #2, o qual você criou ou abaixou completo do site da C-Motion.
  2. Clicar em Signal and Event Processing para visualizar a animação do modelo baseado nos dados de movimento aos quais o modelo foi aplicado. Se a animação não aparecer no visualizador em 3D, checar a caixa combinada de arquivos ativos na barra de ferramenta. Deve mostrar ’Walking Trial 1.c3d’ ao invés de ALL_FILES (todos arquivos).
  3. Se a animação não rodar, clicar no botão PLAY do controle do VCR na parte inferior da tela.
  4. Existem muitas opções para o visualizador de Animação disponíveis debaixo do ítem View Menu ou clicando com o botão direito da mouse no visualizador da animação. Você deve testar estas opções para ver os efeitos que tem; muitos dos efeitos são óbvios.

Visão Geral dos Comandos do Menu

Para abrir o comando do menu, clicar no botão do "Pipeline" e na barra de ferramentas selecionar "workshop" do Menu do Pipeline.

O workshop do Pipeline irá abrir. para orientar você, os comandos foram alocados na coluna esquerda. Os comandos estão organizados em pastas para :

  • File Import/Export and Management (importar e exportar arquivos)
  • Event/Creation and Management (criar e manusear eventos)
  • Metric Creation (criar medidas métricas)
  • Model Building (construir o modelo)
  • Computing Model Based Data (computar o modelo baseado em dados, ou seja, computar ângulos, momentos e etc)
  • Signal Processing and Math (processamento de dados e matemática)
  • Reports (relatórios)

Os comandos podem ser movidos para dentro do pipeline (coluna do meio) usando o botão ADD>> (dupla seta) e podem ser reordenados em qualquer sequência. A coluna mas a direita irá mostrar uma prévia do comando quando o comando for realçado. Qualquer comando pode ser editado aqui. Open, Save e outros botões de execução estão em cima. O tutorial irá caminhar pelas operações do Workshop do Pipeline.

Tutorial4 1.jpg

Editando um Comando

Os comandos do pipeline podem ser editados para personalizar o processamento. Uma visão rápida da sintaxe dos comando segue abaixo.

Sintaxe dos Comandos do Pipeline:

  • Cada comando do Pipeline consiste de duas partes - o comando e seus parâmetros.
Command_Name
/Parameter1= something
;
  • O comando geral acima passa um parâmetro para o comando Command_Name.
  • Cada parâmetro começa com barra para frente (/) seguida do nome do parâmetro, seguido pelo sinal de igual ( =) e do parâmetro.
  • O comando termina com ponto e vírgua (;).
  • Comentários começam com "!". É boa prática documentar o objetivo do comando e as confgurações dos parâmetros com comentários nas linhas
  • Um parâmetro de comando prefixado com um "!" é assinalada um valor padrão.
  • Espaços em branco são ignorados
  • Para passar mais de um grupo de parâmetros ao comando, listas os valores de cada parâmetro, separados pelo sinal "+" (veja os 2 parâmetros abaixo).
/Parameter2= this_value + another_value
  • Parâmetros opcionais são comentados - portanto começam com "!".
  • Se um parâmetro não está listado no comando ou se o "!" caracter está no início da linha, o valor do parâmetro é ignorado, e os valores padrão para o parâmetro são usados no processamento.
Command_Name
/Parameter1= something
!/Parameter2=
;
  • Quando um comando é adicionado ao pipeline, todos os parâmetros são listados, então o usuário não tem que continuamente checar o documento para sintaxes ou valores padrões. O texto do script é fornecido de forma que esses parâmetros opcionais podem ser não-comentados e valores de parâmetros adicionados.
  • Quando parâmetros Signal_Name, Signal_Type, e Signal_Folder são incluídos no comando, sinais que são checados na árvore de dados podem ser importados para o comando ao pressionar o botão Import Selected Signals.

Pipeline tutorial 1.jpg

Executando o Pipeline

Os exemplos a seguir são uma demonstração breve de como construir e executar um pipeline simples. Clicando no botão Execute Pipeline irá levar todos os comandos na caixa de listagem no meio a serem executados em sequência. Quando o pipeline termina uma janela listando os comando executados irá aparecer, além de listar os erros gerados.

Nota: O pipeline irá continuar a processar mesmo que tenha erros em algum dos comandos, portanto é importante checar os erros no status da tela no final do processamento.

Se você quizer que o processamento do Pipeline pare depois do primeiro erro, selecione a caixa Halt on First Error localizada debaixo do botão Execute Pipeline.
Se você deseja executar um comando do pipeline por vez, então clique no botão Step . Isto é útil quando debugging.
Se você deseja executar uma série de comando, selecione o grupo de comando, e clique no botão Step.

Pipeline tutorial 2.jpg

Exemplo 1 - Execute File_Open Command

  1. Selecione o comando File_Open da lista de comando na pasta File Open/Import da árvore de comando à esquerda.
  2. Clicar ADD>> O seguinte comando será adicionado ao pipeline.
    File_Open
    e o seguinte será adicionado ao quadro de parâmetros.
    File_Open
    !/FILE_NAME=
    ;
    Nota: O valor padrão para o parâmetro FILE_NAME é vazio e além disso o parâmetro é comentado como padrão pelo ponto de exclamação, portanto será ignorado de qualquer forma. Independente disso o resultado é que o usuário será informado para selecionar o arquivo quando o pipeline está executando.
    Pipeline tutorial 3.jpg
  3. Clicar Execute Pipeline
  4. A caixa de diálogo Open Movement Files irá aparecer. Procure e selecione o arquivo c3d de sua escolha. O arquivo c3d será aberto no espaço de trabalho e a janela com os resultados irá mostrar que o pipeline foi processado sem erros.
    Tutorial4 2.jpg
  5. Verifique que a guia Workspace Status mostra que o arquivo que você selecionou está realmente aberto.

Exemplo 2 - Executar o Comando File_New and File_Open

  1. Selecionar o comando File_New da lista de comando na pasta File Management .
    Nota: O comando File_New limpa o campo de trabalho do Visual3D.
  2. Clicar ADD>>. O comando File_New é adicionado ao pipeline mas é colocado abaixo do comando File_Open, portanto terá que ser promovido ou movido para cima.
  3. Clicar no botão do comando (mostrado em vermelho abaixo) no canto direito do pipeline para mover o comando File_New um nível acima do comando File_Open . Seu pipeline deverá parecer com o seguinte:
    Tutorial4 4.jpg
  4. Clicar Execute Pipeline.
  5. A caixa de diálogoOpen Movement Files irá aparecer de novo. Selecione o arquivo que é diferente do anterior que você abriu.
  6. Verificar que a guia Workspace Status mostra que o arquivo que você selecionou estava realmente aberto e que o outro arquivo foi removido da guia Workspace Status .

Comando do Pipeline e Active_Files

A seleção de arquivos é importante em Visual3D porque muitos arquivos podem ser abertos simultâneamente. Como mencionado em tutoriais anteriores existe uma caixa combo de seleção de arquivos em cima, na interface do Visual3D (canto direito superior). Os comando do Pipeline normalmente processam os "Active Files"; ou seja, aqueles arquivos selecionado na caixa combo na barra de ferramentas do Visual3D ou designados num parâmetro de comando.

Tutorial4 5.jpg

Seleção dos "Active Files" na Caixa Combo

  • Se apenas um arquivo é selecionado na caixa de seleção de arquivos, o pipeline, quando executado, irá realizar ações apenas no arquivo selecionado (ou seja, apenas no arquivo walk1.c3d).
  • Se ALL_FILES (todos os arquivos) é selecionado, o script irá realizar as ações em todos os arquivos individualmente, como se o script rodasse sequencialmente para cada arquivo.
  • Se uma TAG (guia) (veja próxima seção) é selecionada, o scrip irá realizar as ações em cada arquivo da guia (TAG) individualmente, como se o script rodasse sequencialmente para cada arquivo.

Seleção de "Active Files" pelo Parâmetro de Comando

  • Comandos que incluem o parâmetro FILE_NAME explicitamente agem naquele arquivo específico do que nos arquivos ativos Active Files).
File_Open
/FILE_NAME= C:\MyData\walk 1.c3d
;
  • O usuário pode controlar os arquivos ativos (Active Files) no Pipeline adicionando o comando Select_Active_File no Pipeline. Exemplo 3 irá ilustrar.

Exemplo 3 - Comando Select_Active_File

Adicione o comando Select_Active_File ao pipeline anterior.

  1. Selecione o comando Select_Active_File da lista de comando na pasta File Management na árvore de comando à esquerda.
  2. Clicar ADD>>.
  3. Clicar Execute Pipeline.
  4. Selecionar o arquivo dinâmico quando for solicitado. Quando o Pipeline terminar de executar as funções o resultado deve ser como o descrito abaixo:
    Tutorial4 6.jpg
    Nota: A mensagem de erro depois de Select_Active_File indica que o comando não foi executado corretamente.
  5. Para editar o comando Select_Active_File. Selecionar o comando Select_Active_File no pipeline e clicar no botão Edit debaixo do quadro do parâmetro.
  6. Na janela de edição, remova o ponto de exclamação do parâmetro /FILE_NAME .
  7. No parâmetro do /FILE_NAME adicione o nome específico do arquivo como o caminho mostrado abaixo. Por exemplo C:Documents and SettingsC-MotionMy DocumentsTutorialsTutorial 2Walking Trial 1.c3d not just Walking Trial 1.c3d.
    Tutorial4 7.jpg
  8. Para esse tutorial, adicione o parâmetro C:\demo files\tutorials\Walking Trial 1.c3d to the /FILE_NAME
  9. Clicar OK.
  10. Clicar Execute Pipeline.
  11. Desta vez selecione Tutorial2.cmo quando solicitado a selecionar o arquivo.
  12. Se você receber um erro ou parecer que o arquivo não foi selecionado como solicitado, veja a explicação baixo.

Desafios para identificar arquivos

Isto pode ser uma questão potencialmente frustrante relacionada com o comando Select_Active_File (e vários outros comandos), valendo à pena discutir antes de continuar, pois confunde muito os usuários. O nome do arquivo deve ser o nome completo do arquivo no espaço de trabalho do Visual3D. No Visual3D o nome completo do arquivo inclui o caminho para o arquivo. Visual3D usa o caminho do arquivo para determinar a singularidade do arquivo que foi carregado no espaço de trabalho. Isso permite aos usuários usar os mesmos nomes para cada sessão de coleta (por exemplo static, trial1, trial2, etc), distinguindo os arquivos pela pasta na qual os arquivos foram armazenadas no disco rígido.

Para lidar com essa dificuldade adicione um caminho (mostrado em itálico) antes do nome do arquivo como mostrado abaixo:

Select_Active_File
/FILE_NAME= C:\demo files tutorials\Walking Trial 1.c3d
;

Muitos comandos, entretanto, permitem o uso de um curinga que pode contornar o problema com a especificação completa do caminho. Por exemplo, a mudança seguinte ao comando prévio irá encontrar todos os arquivos cujos nomes terminam em Trial 1.c3d

Select_Active_File
/FILE_NAME= *Trial 1.c3d
;

TAGS no espaço de trabalho

Uma etiqueta ou tag, no Ingles, é simplesmente um atributo que o usuário usa para definir arquivos. As etiquetas (Tags) são fornecidas como um método de classificação ou categorização de arquivos.

  • Arquivos podem ser associados com outros arquivos abertos no espaço de trabalho do Visual3D.
  • Para o Pipeline, se a etiqueta for selecionada como Active File, todos os arquivos dessa etiqueta serão selecionados; Os comandos do pipeline irão agir em todos esses arquivos.
  • O mecanismo de etiquetar os artigos permite voce definir subconjuntos específicos de arquivos C3D files, para facilitar o processamento desse grupo de arquivos.
  • Um arquivo pode ter várias etiquetas associadas a ele.
  • Uma etiqueta pode ter múltiplos arquivos associados a ela.


Na ilustração abaixo todos os arquivos associados às voltas em que o indivíduo andou descalço tem uma etiqueta com o nome "Barefoot"(Descalço). Os arquivos em que usou sapatos 'shoes' (Sapatos) tem uma etiqueta nomeada Shoes.


Tutorial4 3.jpg

  • O usuário define etiquetas para distinguir arquivos dinâmicos de movimento nos quais o indivíduo andou descalço daqueles que o mesmo andou com sapatos.
  • As duas primeiras colunas da tabela, nomeadas Models/Calibration Files e Motion Files estão sempre presentes. As outras duas colunas fora adicionadas pelo usuário quando o usuário definiu duas etiquetas: 'Barefoot' e 'Shoes'.
  • As caixas com marcas identificam os arquivos que pertencem àquela etiqueta e os não assinaladas os arquivos que não pertencem.
  • A relação entre os arquivos de movimento e os modelos é indicado graficamente pela cor das linhas na tabela.

Você também pode também ter mais um tipo de atributo. Por exemplo, todos arquivos associados com as volas que o individuo andou descalço pode ter uma etiqueta nomeada Barefoot assinalada a eles. E aqueles em que apenas dados foram coletadas apenas de mulheres podem ter outra etiqueta nomeada Female. Portanto, você pode selecionar apenas mulheres que não usaram sapatos.

Como mencionada antes, se você ativar apenas estes arquivos, apenas estes serão afetados pelo Pipeline. Isso aumenta muito o poder do processamento do Visual3D uma vez é permitdio a você eliminar e escolher vários dados para processar baseado em vários atributos.

Assinalar uma etiqueta a um arquivo via espaço de trabaho:

  1. Abrir a guia Workspace Status
  2. Clicar no botão Add New File Tag.
  3. Dgitar o nome de sua escolha para a etiqueta dentro da Caixa Editar que aparece. Essa etiqueta será então adicionada a uma nova coluna.
  4. Clicar nas caixas ao lado dos arquivos que você deseja assinalar a etiqueta criada.

Exemplo 4 - Comando Assign_Tags_To_Files

Adicione o comando Assign_Tags_To_Files ao pipeline anterior.

  • Selecione o comando Assign_Tags_To_Files na lista da pasta File Management na árvore de comando à esquerda.
  • Clicar ADD>>.
  • Para editar o comado Assign_Tags_To_Files . Selecione Assign_Tags_To_Files no pipeline e clicar no botão Edit abaixo do quadro de parâmetro.
  • Na janela de edição, remover "!" da frente do parâmetro /MOTION_FILE_NAMES e entrar "C:\demo files\tutorials\Walking Trial 1.c3d"
  • Remove "!" in front of /TAGS, enter "Walk"
Assign_Tags_To_Files
/MOTION_FILE_NAMES=C:\demo files\tutorials\Walking Trial 1.c3d
! /QUERY=
/TAGS=Walk
;
  • Clicar OK.
  • Clicar Execute Pipeline.
  • Desta vez selecionar Tutorial2.cmo quando solicitado a selecionar o arquivo de movimento.

Deletando etiquetas (Tags)

O mecanismo para deletar etiquetas de arquivos não é intuitivo: se nenhum arquivo foi selecionado na coluna de uma etiqueta específica, a etiqueta será deletada no momento em que você mudar para uma página diferente. Se você acidentalmente deletar uma etiqueta dessa maneira, você simplesmente cria uma novamente usando o botão Add New File Tag na página da área de trabalho.

PARÂMETROS DO Pipeline

Uma característica importante do pipeline é a capacidade de criar e utilizar os parâmetros globais. Um parâmetro global é uma maneira de armazenar uma seqüência de texto para uso em comandos de pipeline. Em certo sentido, é semelhante a especificar uma variável global em uma linguagem de script, como o peso corporal, que pode ser usado em cálculos. É realmente muito mais flexível que isso no pipeline. Os comandos de pipeline no Visual3D permitem múltiplas entradas em uma única linha, e uma vez que toda a linha pode ser representada como uma string, um único parâmetro global pode representar múltiplas entradas. A utilização de parâmetros globais será descrita no exemplo.

Exemplo 5 - Comando Set_Pipeline_Parameter_to_Folder_Path

Os seguintes comandos irão criar um parâmetro global que irá conter a pasta, e o comando Open_File irá usar esse parâmetro.

  1. Selecione o comando File_New da lista de comando na pasta File Management .
    Nota: O comando The File_New limpa a área de trabalho do Visual3D.
  2. Clicar ADD>>.
  3. Selecionar o comando Set_Pipeline_Parameter_To_Folder_Path da lista de comandos da pasta do Pipeline Control .
  4. Clicar ADD>>.
  5. Clicar no botão Edit
  6. Depois /PARAMETER_NAME= adicionar FOLDER
  7. Remover o ponto de exclamação do /PARAMETER_VALUE=
  8. Depois /PARAMETER_VALUE= adicionar o caminho para a pasta de seus tutoriais como mostrado abaixo. Por exemplo C:\Documents and Settings\C-Motion\My Documents\Tutorials\.
    Tutorial4 8.jpg
    Nota: Não se esqueça de incluir o sinal de barra invertida (\) depois dos dizeres do caminho ou o script não será executado corretamente.
  9. Selecione o comando File_Open da lista de comando na pasta File Open/Import .
  10. Clicar ADD>>.
  11. Clicar no botão Edit .
  12. Remover o ponto de exclamação de /FILE_NAME=.
  13. Depois /FILE_NAME= adicionar ::FOLDER&*.c3d
    Nota: Para usar o parâmetro global em outro comando, o PARAMETER_NAME deve ser precedido de dois dois ponto (::).
  14. Selecionar o comando Switch_to_Event_Processing_Mode da lista da pasta de Other .
  15. Clicar ADD>>.
  16. Clicar Execute Pipeline.

Esse exemplo irá produzir resultados similares aos pipelines anteriores mas agora múltiplos arquivos serão abertos e o Visual3D deve mudar para a guia Signal and Event Processing .

Syntax para usar o Parâmetro do Pipeline Parameter em outro Comando de Pipeline :

O sinal E comercial (&) indica que os strings ":: FOLDER" e "*. C3d" devem ser concatenados para produzir

' C:.\Documents and Settings\C-Motion\My Documents\Tutoriais\*.C3d'

'Nota: O comando, no exemplo acima usa um curinga para carregar todos os arquivos C3d em uma pasta. Executando esse pipeline vai levar o Visual3D a abrir os dois arquivos C3d que usamos no Tutorial 1 e Tutorial 2, desde que o nome do caminho faça sentido em seu disco. Para fazer o pipeline mais geral, é conveniente separar a pasta que contém arquivos de dados, do comando, pois em muitos casos, é somente o nome da pasta que muda de indivíduo para indivíduo.

A pasta é realmente um caso especial de um parâmetro global porque é usado com muita frequência. Se o PARAMETER_VALUE é deixado em branco, Na execução um diálogo de procura aparecerá para permitir que você navegue e selecione a pasta. Isso elimina a necessidade de digitar o parâmetro da pasta para cada assunto. Através do uso judicioso de parâmetro e curingas muitos pipelines gerais podem ser desenvolvidos e podem ser usados como scripts em lotes de processamento para cada dia de processamento de dados.

Pipeline SIGNAL PROCESSING

Sinal e processamento de eventos serão abordados em maior detalhes no próximo tutorial, mas começaremos a olhar isso agora, porque sinal e processamento de eventos em Visual3D é feito usando o pipeline. Por exemplo, um processo muito comum no tratamento de dados de captura de movimento é Interpolar quadros que faltam nos dados, e depois suavizar (smooth) o sinal resultante. O próximo exemplo demonstra isso usando o Pipeline.

Exemplo 6 - Comando de Interpolar (Interpolate) e Filtros (Pass Filter)

Para esse exercício, você terá que fazer o gráfico da componente original do sinal X do LAS antes e depois do exemplo para que você possa compara os dados originais com os dados revisados.

  1. Na árvores de dados abrir a pasta TARGET
  2. Abrir a subpasta ORIGINAL .
  3. Clicar com o botão direito da mouse em LAS, selecionar Graph X e New Graph. Isso irá criar um gráfico de LAS X do lado direito da tela.
    caption
  4. Na barra de ferrametas principasl, clicar no botão do Pipeline para Pipeline Processing Dialog.
  5. Selecionar Interpolate da pasta de comando Signal Process.
  6. Chicar Add>>
  7. Selecionar Lowpass_Filter da pasta de comando Signal Filter.
  8. Clicar Add>>
  9. Selecione ambos os comando Interpolate e Lowpass_Filter no pipeline.
  10. Na árvores de dados na guia Signal and Event Processing, clicar na caixa de seleção da pasta ORIGINAL para selecionar todos os nomes de alvos ou marcas nessa pasta. Todos os ítens devem automaticamente serem checados com uma marca. isso irá selecionar quais sinais serão interpolados - nesse caso, todas as marcas.
    Nota: Visual3D permite você fazer isso mesmo com a janela do Pipeline aberta.
  11. Clicar Import Checked Signals from Tree na caixa de parâmetro na parte inferior do Pipeline. Isso irá automaticamente importar os sinais selecionados.
  12. Clicar Execute Pipeline para interpolar e filtrar os sinais.
  13. Uma caixa com o resultado do processamento irá aparecer, listando tanto os resultados da interpolação como da filtragem. Verifque que o número de erros é igual a zero.
    Tutorial4 5(2).jpg
  14. Clicar Ok para fechar o Pipeline.
  15. Verificar que uma nova pasta nomeada PROCESSED está presente na Árvore de Dados.
    Nota: Para subsequentes processamentos desse sinal você deverá usar os sinais dessa lista de processados. Caso contrário, você irá sobrescrever em dados já processados..
  16. Abrir a pasta PROCESSED .
  17. Clicar com o botão direito da mouse em LAS, selecionar Graph X e New Graph. Isso irá criar um segundo gráfico de LAS X do lado direito da tela.
  18. Compare os 2 gráficos.

Sumário


Prosseguir para o próximo Tutorial Tutorial: Signal Processing

Retrieved from ""